Neoconservadorismo e Serviço Social


Defesa dos Direitos Humanos é colocada em pauta em Aula Magna

Publicado em 8/3/2018

A Aula Magna do curso de Serviço Social recebeu os alunos para debater “Neoconservadorismo e Serviço Social: desafios (im)postos à profissão para a defesa dos Direitos Humanos”, no auditório do campus Porfirio José de Almeida, nessa quarta-feira, 7. A proposta do evento foi apresentar o atual mercado de trabalho aos acadêmicos ingressantes, além de atualizar os demais alunos acerca do tema.

O palestrante da noite, Jefferson Ruiz, professor da Faculdade de Serviço Social da UERJ, explicou que, atualmente, os principais desafios enfrentados pelos assistentes sociais são as dificuldades de manutenção de políticas públicas que visam a garantia dos Direitos Humanos.

“Na concepção do Serviço Social brasileiro, os Direitos Humanos se desenvolvem​ na defesa da saúde e da educação. Com a presença de ideias conservadoras e reacionárias que se fazem cada vez mais presentes na sociedade contemporânea e na grande mídia, os programas sociais costumam ser atacados e deixados de lado, resultando em escolas e hospitais com condições precárias”, frisou.

Direitos Humanos em sala de aula

Durante o curso, os alunos acompanham as mudanças acerca do tema nas aulas, segundo a coordenadora do curso, Mônica Barison. “Temos, enquanto assistentes sociais, o princípio ético da defesa intransigente dos Direitos Humanos e é necessário que o estudante absorva esse valor central para seu futuro exercício profissional. Assim o acadêmico pode, não só defender, como contribuir na viabilização desses direitos, principalmente no cenário em que vivemos de desregulamentação marcado pelo desemprego e aumento da pobreza”, explicou Mônica.

Tiago Modesto, aluno do segundo ano, comentou que a palestra proporcionou um embasamento teórico que complementou o que já havia visto em sala e contribuiu para melhor formação do seu senso crítico. “O assunto perpassa toda nossa formação acadêmica. Procuro me manter atualizado, pois muita gente ainda não sabe interpretar o que é um indivíduo ter direitos que estão sendo violados perante a sociedade”, comentou Tiago.


Veja Também: