Precisamos falar sobre Intolerâncias


Projeto de combate à intolerância religiosa tem início no campus Aterrado

Publicado em 8/4/2019

Nessa segunda-feira, 8, o UniFOA recebeu o professor Babalawô Ivanir do Santos, pós- doutorando em História Comparada pela UFRJ, para a reunião que dá início ao projeto Intolerâncias, que visa resgatar o sentido cultural do fenômeno religioso, além de combater as práticas e a origem de atitudes de desrespeito, fundamentalismo e intolerância.

O encontro aconteceu na Agência de Comunicação Integrada (ACI), no campus José Porfirio de Almeida, e, além de Ivanir, contou com a participação do professor Darío Aragão, responsável pelo Escritório da Cidadania; José Roberto Tambasco, defensor público federal; Angélica Arieira, coordenadora do curso de Jornalismo; Douglas Gonçalves, coordenador do curso de Publicidade e Propaganda; professora Clarisse Neto, responsável pela ACI; Juliana Aragão, jornalista da ACI, além dos alunos que estagiam na ACI.

O projeto também tem como objetivo propor e viabilizar alternativas teórico-metodológicas para o estudo do fenômeno religioso. “O UniFOA, através da ACI e Escritório da Cidadania, entra nesse projeto para o desenvolvimento de DVD, campanhas e eventos que vão beneficiar a sociedade, ao fomentar o debate, e os nossos alunos, através da prática profissional; tudo para que levemos a reflexão para acabar com o preconceito”, explicou Darío.

Lutar contra a intolerância é uma responsabilidade de todos nós que queremos uma sociedade democrática, diversa, sem ódio e racismo, segundo o Babalawô Ivanir. “Parcerias como essa ajudam a fomentar o debate dentro da instituição, além de toda a contribuição com o projeto, com a campanha, com o seminário, com mobilizações para os nossos eventos e também na promoção de cursos que abordem o tema”, afirmou o professor.

Em sala de aula

De acordo com os coordenadores dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda, esse não será o primeiro contato dos alunos com o tema. “Por se tratar de um assunto que permeia a sociedade, a intolerância religiosa vem sendo abordada em sala de aula em todas as disciplinas. Além disso, temos observado os próprios acadêmicos interessados em discutir o tema, seja em trabalhos de conclusão de curso ou artigos científicos”, relembrou Angélica.

– O publicitário tem um desafio a cada dia. Falar de um tema social tão importante o estimula a ser um apoio à sociedade. É um assunto que precisa ser discutido com todo mundo e qual a melhor forma de falar isso com um público tão grande, mas que, ao mesmo tempo, precisa se sentir individualizado? Será um grande desafio para os nossos acadêmicos que vai mexer a formação deles, os preparando melhor para os desafios futuros do mercado de trabalho, concluiu Douglas.


Veja Também: