UniFOA promove encontro de Iniciação Científica com estudantes do Ensino Médio

O UniFOA realizou, na última terça-feira (19), a abertura do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – Ensino Médio (PIBIC-EM) de 2021-2022, no campus Olezio Galotti, em Três Poços, a fim de reunir os envolvidos no projeto.  

O PIBIC-EM é financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e distribui bolsas de Iniciação Científica para estudantes do Ensino Médio da rede pública de ensino com o propósito de identificar e formar estudantes com vocação para pesquisa científica. Para os docentes selecionados como orientadores, o UniFOA concede as bolsas de pesquisa. O edital é aberto anualmente no site da instituição, a única da região sul-fluminense a conceder as bolsas do CNPq aos estudantes.

Entre os colégios participantes dos projetos de 2021-2022 estão o CIEP 291 Dom Martinho Schlude, Colégio Estadual Célio Barbosa Anchite e o Colégio Estadual Rio Grande do Norte. Cinco estudantes e quatro docentes foram contemplados com a bolsa, sendo os estudantes: Ana Luiza Cardoso, Bruna Machado de Lima, Maria Clara de Oliveira, Maria Eduarda de Souza e Raniel da Silva. Os orientadores selecionados foram: Ana Carolina Dornelas, Bruno Gambarato, Janaína de Oliveira e Sandro Corrêa.

Segundo a Reitora do UniFOA, Úrsula Fraga, “o projeto aproxima os estudantes da realidade, junto ao ensino superior. A pesquisa é a devolução daquilo que produzimos de conhecimento para a sociedade. É uma articulação muito interessante, tanto para o UniFOA quanto para as escolas. Uma parceria em prol do crescimento e da evolução dos estudantes”, disse Úrsula.

IMG 9009

Em depoimento, o Pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação, Bruno Gambarato relatou: “A vantagem da Iniciação Científica para os estudantes é o contato, desde cedo, com a pesquisa, ciência e inovação. Isso faz com que eles desenvolvam novas competências”, contou Bruno.

Leia também:  Primeira turma da nova Engenharia ABI do UniFOA apresenta seus projetos

Para o Diretor Geral do CIEP 291 Dom Martinho Schlude, Luciano Marins, o PIBIC-EM contribui na escolha de carreira dos estudantes, encurtando o caminho à universidade e levando a ciência para a comunidade. “A escola fica em um município pequeno, então o que pudermos absorver de conhecimento e pesquisa tem grande importância para a comunidade”, declarou o diretor.

A estudante do Ensino Médio, Maria Eduarda de Souza está participando, pelo segundo ano do PIBIC-EM e atualmente colabora na pesquisa que visa diagnosticar a cegueira botânica entre discentes e docentes de uma escola pública do Ensino Médio, no município de Pinheiral. “Estou aprendendo muitas coisas novas. O estudo da cegueira botânica não é muito presente na rede pública de ensino, então está sendo uma experiência bem instrutiva”, disse a estudante. “É muito gratificante ver a minha filha tendo essa oportunidade de, ainda no Ensino Médio, fazer parte de projetos científicos. Isso está fazendo com que ela queira adquirir cada vez mais conhecimento”, acrescentou a mãe de Maria Eduarda, Vanessa Souza.

 

Por Yngrid Marcate – Estagiária da Comunicação.

COMPARTILHAR

Leia também...

Escolha abaixo a melhor opção

Olá! Sou seu assistente Virtual. Posso te ajudar?

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Saiba mais.

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas