Inovação local: FOA se junta ao SEBRAE e ADR em 3 workshops sobre o tema

Inovação

Inovar implica na criação de algo inédito, na introdução de novidades, na renovação e na recriação. A inovação é frequentemente associada a alterações e/ou aprimoramentos em algo que já existe. Joseph Schumpeter, renomado economista e cientista político austríaco e um dos principais pensadores do tema, afirmava com clareza que o assunto é o impulsionador do crescimento econômico.

E ao longo do mês de novembro, os professores Rafael Lima e Marcos Kazuiti, dos cursos da Escola de Gestão e Negócios e Design, respectivamente, e membros da ProPED –Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento, representaram o Centro Universitário de Volta Redonda – UniFOA e a Fundação Oswaldo Aranha – FOA no workshop de Cocriação de Estratégias para o Desenvolvimento do Ecossistema Local de Inovação, organizado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE e pela Agência de Desenvolvimento Regional Sul Fluminense – ADR. O principal objetivo dos encontros foi promover o desenvolvimento dos municípios da região na temática de inovação, de acordo com etapas pré-definidas do processo de criação.

Os encontros que acontecem desde o ano passado, tem apoio integral da FOA. Para discutirem melhorias sobre o projeto, as instituições realizam encontros, palestras e conversas com empresas importantes da região para que todos articulem e compartilhem novas ideias que promovam a inovação no sul do Estado do Rio de Janeiro. O professor Rafael Lima, explicou melhor sobre alguns dos intuitos do programa: “Temos como meta desenvolver capacitações, para a criação de projetos de pesquisa, assim como encontrar mecanismos para a inovação aberta. Isso tudo corrobora para o fortalecimento de um ecossistema de inovação regional que abraça a todos”, completou Rafael.

Leia também:  27ª Sipat: Bombeiro civil demonstra contenção de fogo ocasionado por vazamento de gás

Durante os três encontros, inicialmente, os participantes diagnosticaram quais as principais carências deveriam ser exploradas para que a inovação pudesse ser difundida pela região. Após examinar os primeiros passos para a criação desse ecossistema, o segundo encontro serviu para que todos chegassem a um consenso sobre como deveria ser feito esse processo e quais deveriam ser os meios utilizados para o sucesso do projeto. E finalmente, na última reunião, decidiram quem seriam as pessoas que se comprometeriam a executar os resultados das duas primeiras etapas, com a principal missão de fazer o programa ser efetivo.

O professor Marcos Kazuiti que é um grande incentivador da inovação, participou dos três encontros propostos e valorizou, principalmente a integração promovida pelo grupo: “Eu tenho participado de muitos grupos e encontros sobre inovação, mas muitos deles nos deixam passivos como espectadores. Foi uma experiência verdadeiramente ativa e descontraída. Precisamos persistir, inovação é muito mais que networking, mindset ou contribuição individual. Inovação é trabalhar em conjunto de forma consciente, madura, comprometida e a longo prazo. O empreendedorismo é algo inevitável para qualquer profissional”, concluiu Marcos.

 

COMPARTILHAR

Leia também...

Escolha abaixo a melhor opção

Olá! Sou seu assistente Virtual. Posso te ajudar?

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Saiba mais.

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas