MedTech: Metodologia com realidade virtual, por meio de óculos 3D, será implantada na Medicina do UniFOA

Uma novidade tecnológica promete transformar a experiência e o aprendizado dos acadêmicos de Medicina do UniFOA. Graças às pesquisas do estudante Danilo Devezas, do 9º módulo, numa parceria com o professor Walter Luiz da Fonseca, será implantada uma metodologia com uso da realidade virtual para estudos mais interativos e aprofundados do corpo humano.

Inicialmente, o projeto nomeado como MedTech foi apresentado à Pró-reitoria de Planejamento e Desenvolvimento que, percebendo o potencial para ampliar a experiência dos estudantes, promoveu o encontro entre os idealizadores e o presidente da instituição, Eduardo Prado, que encantado, aprovou a proposta. Inclusive, o primeiro treinamento com os professores, alunos e técnicos no laboratório Morfofuncional aconteceu nesta sexta-feira (25).

A 3

“Quando entrei na Medicina, o Laboratório Morfofuncional tinha acabado de ser implementando e eu fiquei encantando com a interação que podíamos ter com um corpo humano virtual. Através da Plataforma 3D Csanmek, pela primeira vez eu via as duas áreas que eu tanto amava juntas: Medicina e Computação”, lembra Danilo, que desde pequeno é apaixonado por tecnologia e chegou a iniciar a graduação em Sistemas de Informação, mas se encontrou de fato na área da saúde.

Como surgiu o MedTech

Segundo o acadêmico interno, de 28 anos, a ideia de utilizar os óculos de realidade virtual surgiu durante a pandemia. “Com o ensino remoto, percebi que instituições em outros países começaram a oferecer um ambiente virtual 3D, para o ensino de anatomia e fisiologia humana, nos cursos de saúde, através do uso de óculos de realidade virtual. Comentei com o professor Walter sobre este uso e questionei se não seria possível trazer esse tipo de ensino para o UniFOA“, conta.

Leia também:  Estudantes e professores do UniFOA participam como juízes da competição de robótica Fira Rio
DSC1147 1 1@0.33x
Foto: Vinícius Vinci

Aos poucos, ele começou a auxiliar o docente durante as aulas, utilizando a plataforma, e juntos começaram a estruturar um projeto que pudesse estimular e facilitar o ensino médico, utilizando as tecnologias já disponíveis no curso. Assim, nasceu o MedTech.

Como Walter sempre foi um grande estimulador do uso de tecnologias para o ensino médico, prontamente aceitou o desafio de ajudar Danilo a planejar como poderiam implementar a metodologia no Centro Universitário de Volta Redonda.

A importância dessa tecnologia

A realidade virtual, os óculos 3D se tornaram populares pelos jogos, como contextualiza o professor. “Atualmente, são várias as utilidades. O ensino começa a utilizar essa ferramenta. Você pode perguntar: por que tanto tempo depois? E a explicação é simples: por causa do custo. Não basta ter a ferramenta. É preciso ter software”, destaca.

De acordo com ele, são softwares que envolvem muitos fatores: ciências da computação, ciências médicas: anatomia, fisiologia, patologia e outras áreas, pedagogia, didática, além do espaço físico, além de professores e técnicos.

DSC1138 1 1@0.33x
Foto: Vinícius Vinci

“É um programa complexo, que tem custo, mas a previsão dos benefícios é enorme. Sempre ouvimos que uma boa imagem vale mais que mil palavras. Essa é a proposta: levar o conhecimento científico através de imagens em ação, transformar os livros em imagens e as imagens em ação, transformar o aluno de mero receptor em agente, fazendo que o estudo fique vivo e compreensível”, avalia esperançoso com o sucesso do projeto. “A realidade virtual é uma experiência para ser vivida”, evidencia.

Leia também:  Curso de Publicidade inicia projeto de pontos turísticos e históricos de Volta Redonda 

Juntos, estudante e professor, pesquisaram por meses, a fim de encontrar mecanismos de redução de gastos e desenhar um projeto que fosse viável e inovador. Do projeto inicial até o aprovado, ocorreu uma redução de quase 80% do valor inicialmente estipulado, trazendo uma solução que agregará muito mais para o UniFOA.

Ampla contribuição para outros cursos

“Na primeira etapa do projeto utilizaremos programas de anatomia e simulação já disponíveis no mercado de realidade virtual. Todos que utilizaremos são disponibilizados em português e inglês. Posteriormente, em conjunto com outros cursos, iremos implementar um laboratório de desenvolvimento interno. Ou seja, passaremos a desenvolver na própria instituição os programas que poderão ser utilizados no ensino da Medicina e também em outros cursos das áreas da saúde e de exatas”, antecipa Danilo.

DSC1152 1 1@0.33x
Foto: Vinícius Vinci

Dessa forma, a introdução do ensino com realidade virtual no UniFOA contribuirá amplamente para o conhecimento e vivência dos estudantes que poderão se envolver no projeto. “Com certeza, essa interação com outras áreas de formação trará uma visão muito mais ampla e multidisciplinar para os profissionais que se formarem pelo UniFOA daqui para frente”, vislumbra o futuro médico.

 

Libânia Nogueira
Jornalista

COMPARTILHAR

Leia também...

Escolha abaixo a melhor opção

Olá! Sou seu assistente Virtual. Posso te ajudar?

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Saiba mais.

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas