Conheça as 5 maiores tendências de engenharia ambiental

Com os esforços constantes do poder público no sentido de promover ações sustentáveis e a conscientização dos vários setores da sociedade sobre a importância da preservação do meio ambiente, as áreas da Engenharia Ambiental e outras profissões nesse setor estão cada vez mais em alta.

Apesar de as perspectivas serem positivas, o estudante precisa ter a consciência de que há muitas responsabilidades envolvidas. Outra necessidade é manter-se sempre atualizado e acompanhar as tendências de engenharia ambiental para oferecer soluções eficazes.

Você tem interesse nesse assunto? Aproveite para conferir mais sobre ele a seguir e, quem sabe, escolher a sua profissão!

1. Gestão Ambiental

Como o próprio nome sugere, a Gestão Ambiental conjuga conhecimentos de Administração e de manejo de recursos naturais com a meta de gerir atividades socioeconômicas usando-os de modo racional.

Essa área está em alta, uma vez que é dotada de técnicas capazes de harmonizar as relações do homem com a natureza, minimizando os impactos sobre o ambiente.

Atuando no segmento de gestão, o engenheiro ambiental pode conduzir estudos de identificação de impactos ambientais, implementar técnicas de recuperação de áreas degradadas e desenvolver programas de educação sustentável.

Pode ainda se dedicar à pesquisa e implementar métodos que objetivam a exploração de bens naturais de maneira sustentável.

2. Tecnologia Ambiental

Outra tendência relevante é a Tecnologia Ambiental, sem a qual se torna praticamente impossível a atuação do engenheiro. Nesse campo, são desenvolvidas e aplicadas ferramentas tecnológicas que têm como finalidade auxiliar esse profissional a proteger o meio ambiente ao mesmo tempo em que otimiza a produção.

Há grande demanda mercadológica pela atuação nessa área. A procura do mercado por engenheiros ambientais que operem com as tecnologias ocorre porque, por meio delas, são oferecidas soluções para minimizar os problemas de eliminação de resíduos, reduzir o consumo de energia e diminuir as emissões poluentes.

Leia também:  Cursos de Administração e de Ciências Contábeis fazem Plantão de Imposto de Renda gratuito à população

Os recursos tecnológicos são importantes ainda para o reaproveitamento de produtos, auxílio a sistemas de gestão ambiental e melhoria da coeficiência — isto é, fazer mais com menos.

3. Geotecnia Ambiental

A Geotecnia Ambiental é uma área híbrida, que envolve conhecimentos da Engenharia Ambiental e da Engenharia Civil para o manejo de obras e extrações de recursos de maneira a não agredir o solo, a água e a biodiversidade de uma região.

Com o crescimento da construção civil no Brasil e a implementação de várias leis ambientais, a geotecnia ambiental tem se tornado um segmento extremamente relevante dentro desse mercado.

O engenheiro que atua nessa área elabora e supervisiona projetos que visam minimizar ou mesmo extinguir possíveis impactos ambientais causados por obras e ações de extração de recursos. Entre esses impactos estão a contaminação do solo por substâncias químicas e a disposição de rejeitos de mineração, por exemplo.

4. Ecodesign

Essa é a área da Engenharia Ambiental que emprega técnicas do desenho industrial para projetar serviços, produtos e ambientes mais sustentáveis, de forma a aproveitar a tecnologia para produzir sem afetar tanto o meio ambiente.

Como um dos pilares do desenvolvimento sustentável, o Ecodesign já se tornou uma tendência, sendo muito demandado nas mais diversas vertentes mercadológicas.

5. Gerência das Relações Ecológicas

Em expansão no mercado, essa área reúne aspectos relativos à Engenharia Ambiental, educação, gestão empresarial e gerenciamento de Recursos Humanos.

Nela, são criados e desenvolvidos processos para conscientizar, orientar e capacitar funcionários de uma companhia e moradores de uma região, por exemplo, sobre práticas socioambientais em conformidade com as ações sustentáveis e com a legislação ambiental em geral.

Leia também:  Como relaxar para o Enem? Confira 7 dicas para ficar zen

O mercado para o engenheiro ambiental

Após conhecer as principais tendências da área, vale a pena se informar sobre como anda o mercado de trabalho para o engenheiro ambiental e qual é o perfil esperado de um profissional como esse. Continue lendo para descobrir esses aspectos importantes da profissão!

Perspectivas

Uma das grandes vantagens de apostar na Engenharia Ambiental atualmente é que o mercado já está mais preparado e as empresas enxergam a necessidade de ter uma pessoa com esse tipo de qualificação em seus times.

Há algum tempo, essa realidade ainda era um pouco distante e muitos recém-formados encontravam certa dificuldade de inserção. Agora, o estudante que se preocupa em desenvolver múltiplas habilidades durante a faculdade certamente chega ao mercado mais preparado e com boas perspectivas de emprego.

Organizações de todo porte são possíveis contratantes, assim como instituições do setor público e ONGs. Uma outra alternativa que atrai muitas pessoas é a consultoria, tanto em empreendimentos próprios quanto em empresas terceirizadas.

Para completar, outro benefício é que a formação oferece um campo muito amplo, diferentemente do que acontece com áreas mais específicas, como a Engenharia de Minas ou de Petróleo.

A questão ambiental deixou de ser exclusiva e passou a ser um problema de todos, o que aumenta as oportunidades de trabalho. Inclusive, as empresas que apostam nesse tema ganham maior visibilidade e credibilidade.

Segundo o Guia de Profissões e Salários da Catho, a média salarial no Brasil para um engenheiro ambiental é de R$ 6.193,93, o que pode variar muito com as funções e o cargo ocupado por cada um. Por exemplo, como consultor, é possível ter uma boa clientela e ultrapassar os R$ 20 mil mensais.

Leia também:  Aplicativos para estudantes: 12 dicas imperdíveis!

Perfil do engenheiro ambiental

Ainda que as expectativas sejam boas, não dá para contar apenas com o diploma do curso superior. A atualização constante e o desenvolvimento de outras habilidades são fundamentais para construir diferenciais que chamem a atenção dos recrutadores. Confira a seguir 3 das principais características que formam um bom engenheiro ambiental.

Consciência ambiental

A responsabilidade de atuar em uma área tão importante é enorme. Logo, o mínimo que se espera é que o profissional seja verdadeiramente interessado nesse assunto e que sua prioridade seja contribuir para a preservação do meio ambiente.

O fato de ser uma profissão que está em alta e que pode trazer um bom retorno não deve ser a prioridade. O que importa é se comprometer a desempenhar um trabalho sério e ético dentro das leis ambientais.

Facilidade para lidar com números

Todo engenheiro precisa demonstrar aptidão e interesse nas ciências Exatas — caso contrário, ele provavelmente vai sofrer durante a faculdade. Física, Estatística, Cálculos e muitos números fazem parte da sua vida e é difícil (para não dizer impossível) fugir dessa realidade.

Liderança

Não pense que fazer contas ou se preocupar com a questão ambiental são as únicas atividades do engenheiro. A capacidade de lidar com outras pessoas e até de liderar uma equipe é vista com bons olhos pelas empresas. O trabalho em conjunto é essencial para motivar os outros e, ainda, apresentar resultados efetivos.

Enfim, agora que você já sabe que as áreas da Engenharia Ambiental são diversas e essa profissão oferece boas perspectivas, escolha um bom curso superior e comece a se preparar para construir uma carreira de sucesso!

Gostou do post? Então, aproveite para compartilhar o conteúdo em suas redes sociais!

COMPARTILHAR

Leia também...

Escolha abaixo a melhor opção

Olá! Sou seu assistente Virtual. Posso te ajudar?

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Saiba mais.

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas