Quais os principais desafios e benefícios de morar em república?

Morar em república é a solução que muitos estudantes encontram quando precisam sair de casa e começar a sua graduação. Ainda assim, muita gente não sabe exatamente como funciona a rotina de quem divide a casa ou o apartamento com outras pessoas.

Justamente por isso, antes de tomar essa decisão, é preciso saber mais sobre a realidade que esse tipo de convivência oferece, até para que não ocorram arrependimentos futuros.

Ficou curioso? Então saiba agora as principais vantagens e conheça também os desafios da vida em república. Confira ainda as dicas que listamos para você tornar essa experiência mais tranquila e agradável!

As principais vantagens de morar em república

É claro que existem benefícios envolvidos nessa escolha. Na verdade, o tempo de república faz parte das melhores memórias de diversas pessoas. Veja a seguir alguma das razões que tornam essa oportunidade bastante atrativa.

Economia

A primeira vantagem é a possibilidade de economizar. Dependendo de onde for a sua faculdade, os custos para se manter numa cidade longe da sua casa podem ser bem maiores do que a sua atual condição permite.

Sendo assim, morar em uma república é a chance de você dividir as despesas e garantir a sua estada sem grandes problemas financeiros. Todos os custos são compartilhados e, inclusive, isso possibilita manter uma qualidade de vida um pouco melhor. Ou seja, pode ser até que sobre uma quantia para os seus outros gastos pessoais.

Amadurecimento pessoal

Nessa fase da vida, é natural que você tenha alguns costumes muito associados ao seu convívio familiar. Logo, ao sair de casa e compartilhar um novo espaço com outras pessoas, a tendência é que você amadureça.

Aprender a dividir e se integrar coletivamente nem sempre é tão fácil, pois as diferenças de hábitos podem incomodar uma hora ou outra. Contudo, é justamente o fato de ter que lidar com isso que favorece o crescimento. Provavelmente você vai se tornar uma pessoa mais tolerante com os outros e madura.

Leia também:  Não passei no vestibular: e agora? Quais as opções?

Socialização

Quer ter amigos? Não gosta de ficar sozinho no dia a dia? Então entre em uma república! O convívio diário ajudará a deixar essa experiência muito mais leve, tirando o peso de estar longe das suas antigas amizades e da sua família.

Por exemplo, em uma época intensa de estudos, é comum que o clima fique mais tenso. A parte boa de morar com outras pessoas é ter com quem conversar e aproveitar a companhia do outro. Sem contar que não deixa de ser um contexto favorável para formar amizades para o resto da vida, algo tão importante quanto qualquer conhecimento científico que você possa conquistar.

As principais desvantagens de morar em república

Não dá para dizer que tudo são flores nesse caminho. A decisão de participar de uma república também apresenta as suas dificuldades. Conheça algumas delas a seguir.

Organização da casa

É natural que, compartilhando o espaço, você não tenha tanto controle sobre a maneira como as pessoas lidam com questões como limpeza e organização, por exemplo. Ainda mais quando falamos de uma fase como a juventude, em que normalmente existem fatores como a rebeldia e a distância dos pais.

Isso quer dizer que, se você for uma pessoa muito organizada e preocupada com esse tipo de coisa, um ponto negativo de viver em república é ter que aturar o jeito dos outros colegas (por mais diferentes do seu que eles sejam).

Não se espante em encontrar um monte de objetos jogados, a pia cheia de louça para lavar e o banheiro sujo. Esse tipo de situação é recorrente e vai exigir uma boa dose de paciência.

Convívio forçado

Sim, esse ponto realmente é capaz de incomodar bastante, ainda que você seja uma pessoa muito sociável. Numa fase da vida em que as pessoas deixam as casas dos pais para viver de maneira independente, as visitas indesejadas em repúblicas podem representar um problema.

Leia também:  Afinal, para que serve um núcleo de pesquisa em uma faculdade?

Sabe aquele dia que você chega cansado em casa e só pensar em dormir? Ou quando está focado nos estudos para uma semana cheia de provas? Talvez os seus colegas não estejam tão preocupados e resolvam fazer uma festa, um churrasco, um jantar ou marcar uma maratona de jogos com outros amigos.

Isto é, a bagunça é quase que inevitável — e, para piorar, os visitantes podem ser pessoas de quem você não gosta tanto assim. Aliás, muitas vezes isso leva a rompimentos sérios de amizades. Vale estabelecer um combinado para evitar constrangimentos com as visitas e brigas com os companheiros de casa.

Perda de privacidade

Ficar totalmente à vontade, como você pode ter o costume de fazer na casa dos seus pais, não é muito fácil vivendo em uma república. Nesse ambiente, você tem que compartilhar a cozinha, o banheiro, a sala e, em alguns casos, até o seu quarto.

Assim, é necessário se acostumar com a convivência, abrindo mão da privacidade que em muitos momentos será desejada — seja para manter a concentração nos estudos, seja por outros motivos pessoais.

Dicas para tentar melhorar a experiência

Embora existam os obstáculos, eles não precisam fazer você desistir de morar em uma república. Para ajudá-lo nessa missão, reunimos dicas práticas para tentar facilitar e melhorar essa experiência.

Escolha um bom lugar

Se a ideia não é montar uma república nova, faça uma pesquisa pelos arredores da faculdade para encontrar uma moradia que tenha mais a ver com você. Isso é importante pelo fato de existirem vários tipos de repúblicas, das mais calmas às mais barulhentas.

Então, visite os lugares, procure referências, conheça os moradores e pergunte sobre o funcionamento da casa. Essa etapa é fundamental para aumentar as chances de fazer uma boa escolha e não se arrepender tanto no futuro.

Crie regras de moradia

Quando tiver oportunidade, converse com os seus colegas a respeito das regras de convivência. Não tomar essa atitude é como ficar esperando até que surja algum desacordo ou briga, já que isso é bem provável de acontecer.

Leia também:  Redes sociais e estudos: é possível conciliar?

O ideal é estipular alguns princípios para evitar conflitos e, para isso, vale reunir todos os integrantes para chegar a um consenso. Pensem em tópicos como horários, visitas e barulho para deixar o acordo bem claro entre todos.

Respeite os limites

Depois de definir os limites em conjunto, cumpra com a sua palavra de respeitar as normas que foram decididas. Afinal, não faz sentido nenhum contrariar algo que vocês fizeram em prol da boa convivência. Por exemplo, se estiver pensando em abrir uma pequena exceção, converse com todos antes para não causar surpresas desagradáveis ou uma confusão ainda maior.

Dê privacidade para os colegas

Compartilhar o cotidiano é muito bacana, mas ter privacidade em certos momentos também é necessário. Mesmo que você não goste da solidão, entenda que as outras pessoas podem querer um tempo só para elas.

Portanto, procure preservar a individualidade de cada um e não seja impertinente. Além disso, respeite tudo o que é do outro — isso inclui carregadores de celular, iogurtes na geladeira, peças de roupa e muito mais.

Divida as responsabilidades da casa

Por fim, seja o primeiro a propor uma divisão das tarefas da casa, pois não ter nenhum acordo deve gerar dois resultados: o caos total ou a insatisfação de alguém que ficará sobrecarregado. O certo é compartilhar as responsabilidades, as contas e a diversão!

Enfim, considere as diferentes alternativas para viver essa fase e reflita sobre como você acha que pode se adaptar a cada uma delas. Isso será importante para garantir um bom desempenho acadêmico e a sua felicidade, independentemente de morar em república ou não!

Agora que você sabe mais desse assunto, não deixe de assinar a nossa newsletter para continuar acompanhando outros temas e descobrindo novas dicas.

morar em republica

COMPARTILHAR

Leia também...

Escolha abaixo a melhor opção

Olá! Sou seu assistente Virtual. Posso te ajudar?

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Saiba mais.

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas