Entenda agora o que é e como funciona a residência médica

O curso de Medicina dura 6 anos e exige bastante dedicação para dar conta de toda a bagagem teórica e prática. Entretanto, saiba que os estudos não param depois de conquistar o diploma, já que o médico recém-formado pode ingressar na residência médica.

Mas, afinal, como é esse programa? Todo mundo que se forma precisa fazer? Qual é a sua duração? Tire as principais dúvidas no post que preparamos para você!

O que é residência médica?

É uma etapa de aprendizado para os médicos formados e com registro no Conselho Regional de Medicina (CRM), com treinamento em serviço.

É realizada em hospitais e focada na aprendizagem prática: o residente vai aprimorar seus conhecimentos e desenvolver habilidades de uma especialidade, mas sempre com a supervisão de um médico que tenha qualificação naquela área.

Assim, nesse programa, o jovem médico vivencia a rotina hospitalar e:

  • atende em ambulatórios especializados;
  • acompanha pacientes internados;
  • atua em casos de urgência da especialidade;
  • faz plantões;
  • substitui médicos da equipe, se necessário.

O residente aprende, portanto, a lidar com os pacientes e a aplicar técnicas e procedimentos de diagnóstico. Ele também se familiariza com formas de tratamento e manejo dos principais equipamentos.

A vantagem de passar por essa etapa é que, ao final da residência médica, o médico conquista, de forma automática, o título de especialista reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

Leia também:  Como uma orientação profissional ajuda a escolher o curso ideal?

Como funciona esse programa?

Para ingressar na residência médica, o candidato escolhe a especialidade que quer seguir e a instituição que oferece o programa. Depois, precisa ser aprovado em uma prova bastante concorrida, ou seja, que exige uma boa preparação.

Quanto tempo dura e qual é a carga horária?

A duração da residência médica varia de acordo com a área escolhida, podendo ser de 2 a 5 anos.

A carga horária, estabelecida em legislação, é de até 60 horas semanais, o que inclui um plantão semanal de até 24 horas (com descanso de 6h consecutivas depois de um plantão noturno realizado por, no mínimo, 12h). O residente tem ainda um dia de folga na semana.

Dessa maneira, ao se inscrever em um dos programas oferecidos em hospitais de instituições públicas e privadas, o médico deve ter em mente que se trata de um treinamento intensivo.

É preciso pagar?

O residente não precisa pagar para fazer a residência. Pelo contrário, ele recebe uma bolsa para participar do programa. O valor, pago pelo Ministério da Educação (MEC), é desde o ano de 2016 de R$ 3.330,43. Contudo, há locais que pagam bolsas maiores.

É uma etapa obrigatória?

Fazer residência médica não é obrigatório. Quando o médico recebe o diploma da graduação e se inscreve no CRM, pode trabalhar apenas como generalista. Com a conclusão da residência ele, automaticamente, ganha um título de especialista, podendo atuar em algumas das diversas especialidades da Medicina.

Leia também:  Matemática no vestibular: saiba como se preparar para a prova

Caso ele não faça a residência, pode optar por cursos de especialização em alguma área de sua escolha em instituições públicas ou privadas. Nesse caso, não obtém o título de forma imediata: precisa cumprir alguns pré-requisitos e ser aprovado em um exame da Associação Médica Brasileira (AMB) e das Sociedades de Especialidades.

Como se preparar para fazer a residência médica?

Como dissemos, a prova para o programa de residência médica é concorrida, por isso é importante escolher uma boa faculdade para fazer a graduação em Medicina. Dessa maneira, a preparação para o exame já vai começar com o início do curso, principalmente em relação ao aprendizado prático em laboratórios e clínicas.

Uma dica é formar grupos de estudos com os colegas e ficar por dentro do que exige o edital da prova de residência para fazer um planejamento adequado de estudos. Existem cursos preparatórios específicos para esses programas, que também podem orientar melhor o candidato.

A residência médica vai complementar a formação do médico, exigindo bastante dedicação. Mas é um esforço que vale a pena; afinal, trata-se de um aprendizado prático com supervisão e que garante o título da especialidade.

Tem o sonho de se tornar médico? Saiba mais o que esperar da faculdade de Medicina!

COMPARTILHAR

Leia também...

Escolha abaixo a melhor opção

Olá! Sou seu assistente Virtual. Posso te ajudar?

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Saiba mais.

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas