Entenda o que é a divulgação científica e por que ela é necessária

De modo geral, divulgar é trazer um assunto à tona, o que pode ser realizado com conteúdo aleatório ou com conhecimento produtivo e relevante destinado a públicos específicos ou gerais. Quando falamos em divulgação científica, especificamente, estamos nos referindo a temas relacionados ao trabalho de pesquisadores que vivem para testar e comprovar teorias das diversas áreas da ciência.

De cientistas a jornalistas, com a função de transmitir a informação, todos os profissionais envolvidos operam no processo de analisar um material científico, transformando a linguagem técnico-científica em conteúdo inteligível. O objetivo é permitir que ele seja consumido e compreendido por pessoas leigas, que não têm o conhecimento específico na área.

Neste artigo, vamos abordar o conceito de divulgação científica e sua importância. Também apresentaremos as principais modalidades de pesquisa científica e como é disseminada no Brasil. Continue a leitura para saber mais!

Qual é a importância da divulgação científica?

A divulgação científica é importante para democratizar o acesso aos avanços da ciência, criando condições para que todas as pessoas consigam discutir temas que, de algum modo, podem impactar e transformar a sociedade.

Coma disseminação, o conhecimento, que poderia ficar restrito a especialistas, é divulgado para a população geral por meio de textos, vídeos, imagens, áudios, infográficos, séries documentais e até filmes — ainda mais na era da internet, que toda e qualquer informação pode ser facilmente veiculada, tornando muito mais acessível o saber.

Por outro lado, e justamente pela facilidade de transmitir informações, é preciso ter cuidado com as fontes. Boa parte do que você lê não é verdade, ou traz ideias equivocadas e distorcidas. Portanto, sempre vale verificar a procedência das notícias — são de artigos científicos? De sites reconhecidos? Fique de olho nisso antes de passar adiante alguma notícia!

Leia também:  Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica Ensino Médio

Afinal, uma descoberta da ciência pode ser noticiada por qualquer pessoa, mas a verdadeira divulgação científica não apenas traz a notícia à tona, como também a explica para evitar erros de interpretação. Assim, é uma ferramenta importante de compartilhamento dos progressos científicos e de sensibilização social, enquanto alcança um público bem heterogêneo.

A divulgação científica tem fins educativos. Também é um dos pilares do ensino superior, pois está presente na bagagem teórica dos cursos, na área de pesquisa e iniciação científica e nos conteúdos de extensão universitária.

Os eventos acadêmicos também trazem divulgação científica, reunindo profissionais que apresentam pesquisas recentes, familiarizando os estudantes com novas informações sobre sua futura profissão. Além de educar, o objetivo disso é aproximar e integrar a ciência e a sociedade.

Quais são as principais modalidades de pesquisa?

As modalidades de pesquisa são definidas de acordo com a abordagem, os objetivos e os procedimentos utilizados. Pesquisar é buscar conhecimento por meio de vários métodos e técnicas, visando à obtenção de dados que tenham relevância científica, acadêmica e social. A seguir, conheça alguns dos principais tipos de pesquisa.

Pesquisa de campo

A pesquisa de campo é a modalidade mais direta, pois o pesquisador tem contato com a população estudada no ambiente natural de seu objeto de estudo. Ali, ele observa, identifica e coleta as informações necessárias para obter resultados que precisa, de acordo com o seu objetivo de estudo.

Leia também:  Entenda o impacto da satisfação profissional para o sucesso

Pesquisa exploratória

Na pesquisa exploratória, o pesquisador busca mais familiaridade com um determinado assunto sobre o qual ele ainda não entende muito. Para isso, ele formula hipóteses e tenta validar algumas delas a partir de exploração bibliográfica, análise de exemplos e estudos de caso.

Pesquisa quantitativa

Realizar uma pesquisa quantitativa é se apoiar em dados quantificáveis para explicar um fenômeno. Nesse caso, os fatos são traduzidos em números com a ajuda de métodos como tabelas e gráficos. As ferramentas estatísticas têm papel central nessa modalidade.

Pesquisa qualitativa

Ao contrário da anterior, a pesquisa qualitativa não comprova resultados por meio de números. Aqui, o que conta é a percepção, a interpretação e a análise subjetiva do pesquisador. É um método mais comum na área das ciências humanas. Portanto, é baseada em dados não mensuráveis.

Pesquisa de laboratório

A pesquisa de laboratório é realizada de maneira direta, com o apoio de recursos laboratoriais. O pesquisador, então, utiliza um ambiente controlado e instrumentos específicos com o objetivo de produzir ou reproduzir determinado fenômeno. É uma modalidade fundamental nos estudos das ciências biológicas.

Pesquisa bibliográfica

Diferente das pesquisas de campo e de laboratório, os estudos bibliográficos são realizados de maneira indireta, com base em fontes secundárias que permitam o levantamento de um determinado tema. Livros, artigos científicos e revistas são os materiais mais utilizados, tanto na versão física quanto no formato digital. Esse é o principal tipo de trabalho feito na conclusão de curso superior.

Pesquisa documental

Assim como a bibliográfica, a pesquisa documental é realizada de modo indireto, sem contato com a população estudada, mas utiliza fontes primárias. Nesse caso, o pesquisador apoia sua investigação em materiais como testamentos, gravações, registros, fotografias e outros tipos de documentos que sirvam como fonte original de informação.

Leia também:  O que eu preciso saber sobre o mercado da Educação Física no Brasil?

Como é a divulgação científica no Brasil?

Seja qual for a modalidade de pesquisa utilizada, a divulgação científica é necessária para propagar conhecimento, apresentar novas ideias e conceitos e permitir que o público em geral tenha acesso aos avanços da ciência.

A divulgação científica no Brasil é realizada principalmente por centros universitários e institutos de pesquisa e tecnologia, que têm seus próprios comunicadores atuando com a imprensa. Portanto, é uma ação de caráter transdisciplinar, já que reúne professores, pesquisadores e jornalistas que contribuem para ampliar o alcance da ciência.

A popularização do trabalho dos cientistas ganhou mais evidência, por exemplo, durante a pandemia. Vimos, nesses últimos anos, a importância da divulgação científica para informar a população e orientar a postura dos governantes.

Antes mesmo da pandemia, a divulgação científica já era essencial, mas ocorria de maneira mais tímida. Não é de hoje que existe um interesse público nas inovações da biotecnologia, no uso da inteligência artificial e nas questões relacionadas à sustentabilidade e meio ambiente. Entretanto, temos um longo caminho pela frente, pois as ondas de desinformação e a disseminação de notícias falsas ainda colocam obstáculos na propagação da ciência.

Siga o UniFOA nas redes sociais para ter acesso a mais conteúdos informativos e de qualidade. Você nos encontra no Facebook, no Twitter e no Instagram.

COMPARTILHAR

Leia também...

Escolha abaixo a melhor opção

Olá! Sou seu assistente Virtual. Posso te ajudar?

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Saiba mais.

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas