Estudar com mapas mentais: saiba como e por que fazer!

Um dos maiores desafios que os estudantes enfrentam é dar conta de aprender satisfatoriamente todas as matérias, pois, além de muitas e diversificadas, as disciplinas costumam ter conteúdos bastante complexos.

Para driblar essa dificuldade, é possível usar ferramentas que melhoram o processo de aprendizagem. Uma estratégia poderosa que o estudante tem ao seu favor é o mapa mental de estudos. Já ouviu falar dele?

Trata-se de um recurso muito eficaz para a compreensão dos conteúdos, a memorização e a conexão das ideias. Além de muito benéfico para o aprendizado, o mapa mental é bem simples de fazer: pode ser construído com papel e algumas canetas ou em sites e aplicativos.

Quer saber mais sobre como usar essa ferramenta poderosa e melhorar o seu tempo de estudos? Continue a leitura e confira.

O que são mapas mentais?

Nas aulas que já teve de biologia, você deve ter ouvido falar que as atividades cerebrais são baseadas em sinapses entre neurônios, que são as associações feitas entre as células. A estratégia de mapas mentais segue essa mesma lógica de fazer conexões.

Se o cérebro promove a aprendizagem de suas estruturas pela conexão entre elas, é pela associação dos conteúdos que aprendemos. Assim, o mapa mental é literalmente um mapa do que você tem na cabeça. Nesse sentido, constrói-se um diagrama de um tema e suas relações, em que são incluídos apenas os elementos essenciais, com frases curtas ou palavras-chave.

Estudar com mapas mentais organiza o nosso conhecimento?

Um mapa mental estrutura de forma coerente e direcionada os conteúdos que estamos estudando. À medida que o mapa vai sendo montado, raciocinamos sobre o assunto e dividimos suas informações em porções, o que leva o cérebro a fazer conexões com maior facilidade.

Leia também:  Líder e Chefe: Entenda as diferenças e impactos na equipe

Assim, organizamos o nosso conhecimento para guardar e retomar informações e para produzi-las, em uma redação, por exemplo. Com isso, ajuda a criar uma referência visual para o que foi estudado, o que enriquece o aprendizado e ajuda na compreensão e fixação.

Estudar com mapas mentais melhora a nossa memorização?

O esquecimento é um processo natural e até necessário, pois não temos condições mentais de guardar todas as informações que obtemos. No entanto, determinados conteúdos precisam ser arquivados em nossa memória, o que exige que encontremos meios para poder memorizá-los e nos lembrarmos deles quando precisarmos.

O mapa mental é uma ferramenta eficiente para memorizar informações relevantes por um longo período. Isso porque, ao organizar de maneira significativa o conhecimento aprendido, essa técnica destaca as informações que foram estruturadas e é capaz de condensar os conteúdos em blocos facilmente recordáveis.

Estudar com mapas mentais aumenta a nossa produtividade?

Os mapas mentais sintetizam de modo estruturado, hierarquizado e rápido o conteúdo estudado, facilitando sua revisão. Com o conhecimento sobre um determinado assunto organizado e guardado na memória, o tempo destinado às atividades estudantis é otimizado, o que possibilita aumentar a quantidade de conteúdos a serem estudados.

Assim, essa técnica eleva a nossa produtividade, permitindo que estudemos mais, mantendo os bons resultados com o aprendizado. É uma ótima maneira de organizar o seu trabalho. Além disso, à medida que você adquire o hábito de estudar usando a ferramenta, ela se torna mais intuitiva.

Como fazer um mapa mental?

Podemos pensar em um mapa mental como uma árvore com ramificações de diferentes tipos. No seu centro, deve ficar o tema a mapear, do qual brotam os galhos, que são os subtópicos do assunto. Estes também podem ser ramificados, sendo que isso depende da complexidade do assunto estudado. A ideia é fazer conexões coerentes que promovam a absorção visual das informações.

Leia também:  Literatura no Enem: quais os assuntos mais cobrados no exame?

Como vimos, é possível fazer o mapa mental com apenas papel e algumas canetas coloridas. Você também pode contar com sites e aplicativos que ajudam a construí-lo pelo celular, tablet ou computador, com a vantagem de ser mais fácil fazer edições ou correções. O seu diagrama não precisa ser considerado como algo finalizado, sempre pode ser alterado quando surgirem novas informações.

A elaboração do mapa é uma tarefa simples, mas que exige reflexão e capacidade de estabelecer relações. É importante que, antes de iniciar, o texto seja grifado em suas partes principais, para formar as palavras-chave que comporão o mapa. Aposte nas cores para criar destaques e hierarquia das ramificações. Além disso, tenha uma escrita objetiva e enxuta, para manter o objetivo de ter apenas chaves de estudo.

Qual é a importância de estudar com mapas mentais?

Quando você concentra seu aprendizado apenas nas leituras e nas aulas, pode acabar perdendo algumas informações. Ao usar o mapa mental de estudos, é possível ter uma experiência prática, o que melhora muito a compreensão e faz com que aquilo tenha maiores chances de ser recordado.

Essa técnica de estudos é muito dinâmica e pode ser usada em diferentes matérias e temas. Da mesma forma, é um recurso até para organizar a rotina pessoal, quando você quer traçar objetivos e fazer planejamentos.

Além disso, é uma ferramenta que melhora muito a revisão do que foi aprendido; afinal, ela é mais fácil de ser visualizada do que os resumos tradicionais. Apesar de simples, exige uma boa habilidade de síntese, o que melhora com a prática constante. Para isso, é interessante também usar técnicas de revisão.

Leia também:  9 segredos para fazer uma excelente redação no Enem

Como usar os mapas mentais nas revisões?

As revisões com mapas mentais são essenciais para que você se lembre de conteúdos que são importantes para os seus estudos. Você pode usar isso para na preparação para uma prova simples ou em seleções mais desafiadoras, como o vestibular. Nesses casos, também é interessante apostar em algumas estratégias.

Dessa forma, no primeiro mês, a dica é revisar o seu diagrama diariamente. Após esse período, olhe novamente o mapa a cada duas semanas. Em seis meses já estará mais fixado e você pode espaçar mais as revisões. Isso ajudará muito a tornar mais eficientes os estudos de temas difíceis de serem lembrados e que são importantes para o seu objetivo.

Portanto, o mapa mental de estudos é excelente para quem quer organizar o tempo, melhorar os resultados e facilitar o processo de revisão. Ele enriquece muito o aprendizado e necessita de poucos recursos para ser feito, o que o torna uma ótima ferramenta para quem deseja resultados notáveis.

Quer acompanhar mais dicas de estudos e crescimento pessoal como a deste texto? Então curta a nossa página no Facebook e não perca nenhuma novidade.

COMPARTILHAR

Leia também...

Escolha abaixo a melhor opção

Olá! Sou seu assistente Virtual. Posso te ajudar?

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Saiba mais.

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas

Luciana Pereira Pacheco Werneck

Especialização em Gerenciamento de Projetos
Data de admissão: 01/02/2018
Disciplinas lecionadas